Declaração dos Não-Humanos Primeiro; DNHP (2015)

Publicada em 2 de julho de 2014 por Non-Humans First.

Declarando que; os animais não humanos estão sendo oprimidos e assassinados por mais de 99% da população humana e esses humanos se recusam a denunciar o privilégio humano.

Declarando que; os animais não humanos encontram-se numa situação de emergência imediata e holocausto global, sem que as crises humanas se aproximem da sua escala.

Declarando que; Reconhecemos nosso papel como ativistas dos direitos animais como sendo defender diretamente por animais não-humanos, dando aos seus interesses uma voz (como eles não têm nenhum na sociedade humana), ao invés de representar nossas próprias ideologias e interesses.

Procuramos trabalhar com os seguintes princípios voluntários:

1. Ninguém deve ser excluído da participação em atividades de direitos animais com base em seus pontos de vista sobre questões humanas. Os animais não humanos estão numa situação de emergência imediata e precisam de toda a ajuda que conseguirem! Além disso, os movimentos de direitos das mulheres, anti-racismo, etc. não exigem que os participantes rejeitem a opressão das espécies e que o movimento animal não exija a adesão a posições de direitos humanos enquanto os animais ainda estão em estado de emergência. É claro que todas as regras têm suas exceções (conforme decidido por grupos individuais), mas esse tipo de proibições e exclusões não deveria ser a norma nos direitos dos animais.

2. As táticas devem priorizar os animais não humanos, dada a sua situação de emergência e o fato de os animais não humanos estarem sendo oprimidos pela maioria dos seres humanos. Nenhuma ideia tática deve ser excluída da discussão baseada em seu conflito com a ideologia dos direitos humanos.

3. Estamos cientes e preocupados com o fato de que algumas melhorias nos direitos humanos dentro de um sistema fundamentalmente opressivo em relação a não-humanos levam a uma maior opressão de animais não humanos. Por exemplo, melhorias econômicas que levam ao aumento da produção industrial, consumo de carne, laboratórios de animais, etc. Nós, portanto, convocamos os seres humanos a libertarem seus próprios escravos (não-humanos) antes de exigirem seus próprios direitos.

Reconhecemos que as situações individuais exigem respostas diferentes, não são regras ou políticas – nada é definitivo. Estes são apenas princípios generalizados e flexíveis. Também não procuramos definir a participação dos outros nos direitos dos animais, estes são os nossos princípios, não procuramos forçá-los aos outros e esperamos que outros não nos obriguem a conformar-se às suas crenças.

Esta declaração é totalmente voluntária e respeitamos opiniões opostas, desde que não sejam usadas para excluir pessoas da participação em atividades de direitos dos animais.

A Declaração dos Não-Humanos não se opõe à ideia de direitos humanos, nem coloca os animais não-humanos acima dos humanos em status moral. Animais humanos e não humanos são iguais em status moral.  Seu objetivo é apenas o reconhecimento da situação de emergência de animais não humanos e o fato de atualmente a maioria dos seres humanos estar em uma relação opressora / opressora com animais não humanos.

Referência

The Non-Humans First Declaration

Anúncios