Autoridades ambientalistas alertam: eleger Bolsonaro é colocar o meio ambiente em risco


Ambientalistas e protetores dos animais tem alertado nas redes sociais o grande perigo de eleger como presidente o candidato do PSL, Jair Bolsonaro. Além de ser um negacionista da destruição do meio ambiente, o político está sendo apoiado pela bancada ruralista, que faz lobbying no congresso nacional para defesa dos interesses próprios, que trazem grandes danos ambientais com a pecuária industrial e a agricultura de monocultivo em larga escala. Tirar o Brasil da ONU e do Acordo de Paris, liberar a caça e flexibilizar a fiscalização do IBAMA são algumas medidas de proteção ambiental que ele propõe.

Em contrapartida, Marina Silva, líder do partido Rede Sustentabilidade, que é uma ambientalista reconhecida internacionalmente por sua atuação efetiva no combate ao desmatamento pelo Ministério do Meio Ambiente (de 2003 à 2008) tece uma dura crítica a Bolsonaro. Autoridade no assunto, a ativista ambiental conseguiu, com seu plano de ação para prevenção e controle do desmatamento da Amazônia legal, reduzir em 57% o desmatamento – em apenas três anos -, o que lhe deu grande credibilidade e que, em 2007, lhe rendeu os dois maiores prêmios do meio ambiente no mundo: o Campeões da Terra, maior prêmio ambiental da ONU e o Prêmio Goldman, considerado o Nóbel do meio ambiente. Mesmo sendo anti-petista declarada, seu partido emitiu uma nota oficial se opondo à Bolsonaro no segundo turno, onde diz:

[…] é impossível ignorar que o projeto de Bolsonaro, conforme tem sido reiteradamente afirmado, representa um retrocesso brutal e inadmissível em três pontos muito caros aos princípios e propósitos da Rede. Primeiro, promete desmontar inteiramente a estrutura de proteção ambiental existente no país, conquistada ao longo de décadas, por gerações de ambientalistas. Chega ao absurdo de anunciar a incorporação do Ministério do Meio Ambiente ao Ministério da Agricultura. Com isso, atenta contra o interesse da sociedade brasileira e destrói pilares fundamentais para o futuro do país. Além disso, ataca os direitos das comunidades indígenas e quilombolas, anunciando que não será demarcado mais um centímetro de suas terras. Segundo, é um projeto que despreza direitos humanos e a diversidade existente na sociedade, promovendo a incitação sistemática ao ódio, à violência e à discriminação. Por fim, é um projeto que ameaça a democracia e põe em cheque as conquistas históricas desde a Constituinte de 1988.”

A Greenpeace, uma das maiores ONGs ambientalistas do mundo, alertou também:

No quesito retrocessos socioambientais, as propostas e posicionamentos do candidato Jair Bolsonaro (PSL) merecem destaque. Apoiado por boa parte da bancada ruralista, já se comprometeu com a extinção do Ministério do Meio Ambiente, declara que pode retirar o Brasil do acordo internacional do clima (Acordo de Paris) e afirma que irá enfraquecer órgãos de fiscalização a crimes ambientais, como o Ibama. O candidato também promete avançar sobre áreas protegidas e florestadas, principalmente terras indígenas e quilombolas, e ataca os direitos destes povos. Bolsonaro também anuncia o enfraquecimento das regras de licenciamento ambiental, o que poderia acarretar no aumento na judicialização em obras, principalmente as de grande porte, afetando os investimentos no país.”

E complementa:

Bolsonaro também promete aprovar o projeto de lei que libera o uso indiscriminado de agrotóxicos, inclusive aqueles cancerígenos. Recentemente, ameaçou acabar com o ativismo no Brasil, numa clara ameaça à atuação de organizações como o Greenpeace e à própria democracia.

Tais promessas ainda colocam em risco a preservação do meio ambiente, da biodiversidade e a capacidade do Brasil de combater as mudanças climáticas, uma vez que levarão à uma explosão do desmatamento da Amazônia e em outros biomas. Além disso, estimulam a violência no campo e a intolerância. Já enfrentamos grandes retrocessos nestas áreas, mas as propostas de Bolsonaro poderão nos levar à um cenário trágico e sem precedentes.”

Pelo risco iminente, outros diversos sites estão declarando que se opõe a eleição de Bolsonaro. Confira abaixo um compilado de postagens que mostram os motivos para defensores do meio ambiente e dos animais não votarem em Bolsonaro, afinal, destruir o meio ambiente é destruir também os animais:

Movimento Não Mate

Mídia Ninja

Observatório do Clima

 

El País

Instituto Humanitas Unisinos

Boletim Vegano

Veganagente

Modefica

De Olho Nos Ruralistas

Brasil de Fato

Árvore, Ser Tecnológico

Vista-se

 

 

Sociedade Vegetariana Brasileira

PlayGround BR

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s