Em artigo, cientistas refutam a teoria de que plantas têm consciência


Pesquisadores da Universidade da Califórnia em Santa Cruz, Estados Unidos, publicaram um artigo – chamado “Plantas nem possuem nem exigem consciência” – na revista científica Trends in Plant Science, em que negam a teoria da consciência das plantas.

Eles concluíram que apenas vertebrados, artrópodes e cefalópodes têm estruturas capazes de garantir essa qualidade, e para chegar a isto usaram a pesquisa de Todd Feinberg e Jon Mallatt, que explora a evolução da consciência através de estudos comparativos de cérebros animais simples e complexos.

“Feinberg e Mallatt concluíram que apenas vertebrados, artrópodes e cefalópodes possuem a estrutura cerebral limiar para a consciência. E se há animais que não têm consciência, então você pode ter certeza de que as plantas, que não têm neurônios, também não têm”, explica Lincoln Taiz, professor emérito de biologia molecular, celular e de desenvolvimento da Universidade da Califórnia, em Santa Cruz.

A questão de saber se as plantas podem pensar, aprender e escolher intencionalmente suas ações tem sido objeto de debate desde o estabelecimento da neurobiologia vegetal como um campo em 2006. Taiz foi um signatário original de uma carta, também na  Trends in Plant Science, argumentando contra a sugestão de que as plantas têm uma neurobiologia para estudar.

“O maior perigo de antropomorfizar plantas sob investigação é que isso mina a objetividade do pesquisador. O que temos visto é que plantas e animais desenvolveram estratégias de vida muito diferentes. O cérebro é um órgão muito caro, e a planta não tem vantagem em ter um sistema nervoso altamente desenvolvido”, diz Taiz.

Os proponentes da neurobiologia das plantas estabelecem paralelos entre a sinalização elétrica em plantas e sistemas nervosos em animais. Mas Taiz e seus co-autores argumentam que os proponentes traçam este paralelo descrevendo o cérebro como algo não mais complexo que uma esponja. O modelo da consciência de Feinberg-Mallatt, em contraste, descreve um nível específico de complexidade organizacional do cérebro que é necessário para a experiência subjetiva.

As plantas usam sinais elétricos de duas maneiras: para regular a distribuição de moléculas carregadas através das membranas e para enviar mensagens de longa distância por todo o corpo.

No primeiro, as folhas de uma planta podem ser enroladas porque o movimento dos íons produz um movimento da água fora das células, o que muda sua forma; e no último, uma picada de inseto em uma folha poderia iniciar respostas de defesa de folhas distantes.

Ambas as ações podem parecer como se uma planta decidisse reagir a um estímulo, mas Taiz e seus coautores enfatizam que essas respostas são geneticamente codificadas e foram aperfeiçoadas através de gerações de seleção natural.

“Eu sinto uma responsabilidade especial de assumir uma posição pública porque sou co-autor de um livro de fisiologia vegetal. Eu sei que muitas pessoas na comunidade de neurobiologia de plantas gostariam de ver seu campo em livros didáticos, mas até agora, há muitas perguntas não respondidas “, diz ele categoricamente.

Apesar das plantas terem um sistema defensivo e responderem a estímulos, por exemplo, voltando-se para a luz ou fechando-se sobre uma mosca, elas não têm consciência, nenhum estudo respeitável mostrou que elas plantas podem “sentir dor”, pois para isso é necessário ter sistema nervoso, então as alegações de que elas são seres que pensam não é algo para ser levado a sério no meio científico.

Apesar da errônea ideia de consciência em plantas ser usadas para tentar diminuir a luta por proteção animai, vale lembrar que se alguém defende os vegetais, cada quilo de carne demanda diversos quilos de plantas, então o melhor a se fazer é evitar o consumo de animais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s