Marti Kheel

Marti Kheel (25 de agosto de 1948 – 19 de novemrbo de 2011) foi uma proeminente escritora e ativista nas áreas de ecofeminismo, defesa animal e ética ambiental. É considerada uma pioneiras do pensamento ecofeminista, aplicando a tradição feminista da ética de cuidado.

Obteve bacharelado (BA) em História pela Universidade de Wisconsin, Mestrado (MA) em Sociologia pela McGill University e doutorado (Ph.D.) em Estudos Religiosos e Ética Ambiental) pela Graduate Theological Union, Berkeley, CA.

Em 1973, ela se tornou vegetariana depois de uma série de experiências enervantes em restaurantes e mercearias que a tornaram cada vez mais consciente dos seres vivos que constituíam a “carne”. Quatro anos mais tarde, enquanto morava em Montreal, ela se juntou à organização de base Animal Liberation Collective, que a apresentou a um amplo espectro de problemas de abuso de animais. À medida que se tornava cada vez mais consciente do tratamento horrendo de animais que não eram humanos nas fazendas e na sociedade em geral, ela se tornou vegana.

Depois de se mudar para a Califórnia, ela co-fundou a Feminists for Animal Rights (FAR) na Califórnia em 1982, na esperança de unir as divisões entre os movimentos de defesa feminista e animal. No mesmo ano, ela desenvolveu uma apresentação de slides ilustrando as semelhanças nas formas como mulheres e outros animais do que humanos são vistos sob a sociedade patriarcal. Adotado pela FAR, a apresentação já foi mostrada nos Estados Unidos e no exterior. Ao longo dos anos, a FAR se transformou em uma organização nacional com escritórios regionais nos Estados Unidos e até mesmo no exterior. Embora a FAR não esteja atualmente ativa, a mensagem da ligação entre o abuso de mulheres e outros animais humanos continua a inspirar as pessoas.

Os artigos de Kheel foram traduzidos em vários idiomas e apareceram em numerosos periódicos e antologias. Seu inovador artigo de 1985 The Liberation of Nature: A Circular Affair (A Libertação da Natureza: Um Caso Circular) ofereceu a primeira crítica feminista da ética ambiental. Originalmente publicado em Environmental Ethics (Ética Ambiental), o artigo foi amplamente citado e republicado em vários volumes editados. Junto com muitos de seus outros artigos, este ensaio foi de leitura obrigatória em inúmeros cursos universitários. Também lançou as bases para o futuro de seu trabalho na junção entre defesa animal e ética ambiental.

Com o passar dos anos, o principal objetivo de Kheel foi desenvolver uma filosofia ecofeminista holística que pudesse agregar os movimentos e filosofias aparentemente díspares do feminismo, da defesa dos animais e da ética ambiental. Com base no modelo de saúde holística, Kheel acreditava que o ecofeminismo oferece a possibilidade de um modo genuinamente holístico de perceber o mundo. Ao esclarecer as causas profundas dos problemas sociais, o ecofeminismo pode nos ajudar a aprofundar nossa capacidade de empatia por todos os seres vivos, ajudando, assim, a criar um mundo de paz e respeito por todos os seres vivos.

Kheel recebeu seu doutorado em estudos religiosos da Graduate Theological Union (União de Pós-Graduação Teológica). Em 2008, seu livro Nature Ethics: An Ecofeminist Perspective (Ética da Natureza: Uma Perspectiva Ecofeminista) foi publicado. Ela era uma acadêmica visitante no Environmental Science, Policy, and Management (Departamento de Ciências Ambientais, Política e Administração) da Universidade da Califórnia, em Berkeley.


Texto formulado e traduzido a partir do site oficial da escritora: http://martikheel.com/


vegpedia / wikipedia / site / facebook / instagram / entrevista

Anúncios