Entenda porque celebridades vegetarianas estão se declarando veganas


Da mesma forma que há diversas pessoas que comem peixes e frango que se auto-nomeiam, erroneamente, como vegetarianas, há quem venha se chamando de vegano mesmo usando produtos de origem animal. Entenda o porquê disto estar acontecendo.

Mistura dos termos

A cantora pop Beyoncé anunciou recentemente para mais de 110 milhões de seguidores que está se preparando para o festival de música Coachella com uma “dieta vegana”. No passado a celebridade decretada vegana utilizou um casaco de pele e muitos sites replicaram a informação. Não é só ela! Constantemente portais grandes, até mesmo que falam de veganismo e vegetarianismo, vem noticiando que famosos passaram a ser veganos por saúde, sem sequer citar os animais, o que é contestável.

Atualmente diversas pessoas não tem diferenciado os termos veganismo e vegetarianismo – a informação chega para elas assim pela, sem a parte teórica que envolve os animais. É comum que digam que são veganas quando pararam de utilizar produtos de origem animal apenas na alimentação, e que falem que tem uma “dieta vegana”, mas que continuem os utilizando em roupas, produtos estéticos ou de higiene, mesmo tendo opções disponíveis para isso. É também comum afirmarem que são veganas por saúde, pelo meio ambiente ou por evolução espiritual, mas isso tudo acaba sendo uma deturpação do termo veganismo, que foi originalmente proposto como ideal filosófico-político com sentido de respeito integral aos direitos dos animais.

No sentido estrito¹ e original, o termo veganismo se refere à uma filosofia e estilo de vida que busca abolir a exploração animal pelos humanos. Os veganos evitam ao máximo, ou seja, na medida do possível e praticável, o consumo de produtos de origem animal. Foi assim que o termo veganismo foi cunhado em 1944 por Donald Watson, fundador da primeira instituição vegana do mundo, a Sociedade Vegana.

Entenda melhor o que é veganismo clicando aqui.

Já o termo vegetarianismo se refere à uma dieta alimentar à base de plantas, pelo menos como foi em sua origem. A ideia de vegetariano era um termo usado para se referir apenas para quem consumia vegetais, mas ao longo do tempo passou a ser usado para descrever de pessoas que deixaram de comer apenas carne mas continuam a comer leite, ovos e mel, por exemplo.

Para deixar mais clara esta ideia surgiram termos com acréscimos de prefixos, como é o caso atualmente de ovo-vegetarianismo (para pessoas que consomem ovos e vegetais), lacto-vegetarianismo (para pessoas que consomem leites, ovos e vegetais), ovo-lacto-vegetarianismo (para pessoas que consomem ovos, derivados de leite e vegetais). De forma mais ampla quando alguém fala “fulano é vegetariano” é muito provável que esteja se referindo à alguém ovo-lacto-vegetariano e não mais a alguém com uma dieta integralmente feita de vegetais. Hoje em dia o termo mais claro para alguém com uma dieta totalmente à base de plantas é o vegetariano-estrito.

Em resumo, o veganismo tem em sua concepção todas ações humanas e de consumo sem exploração de animais, inclusive na dieta, já o vegetarianismo se limita apenas a dieta e pode ter diversas motivações, sendo assim os veganos são todos vegetarianos (estritos), mas nem todo vegetariano é vegano.

Resgate do termo vegetarianismo

Além das definições mais populares utilizadas atualmente, há uma proposta de resgate ao termo vegetarianismo como foi originalmente proposto. A Sociedade Vegana brasileira chama as pessoas que em sua alimentação não consomem carnes ou coisas diretamente de animais mortos, mas acabam por consumir outros produtos de origem animal, como ovos e leite, de protovegetarianos.

A palavra proto exprime a noção de primeiro ou anterior e é seguido de outro elemento que tem um sentido concluído ou de próximo passo sobre aquilo que se deseja, por exemplo, protótipo é um produto de trabalho da fase de testes e/ou planejamento de um projeto, em analogia a ideia do termo protovegetariano seria alguém que não é vegetariano mas está próximo disso, seja apenas por prática ou por ter esse objetivo.

Confira abaixo um vídeo de George Guimarães, nutricionista e ativista fundador da ong de defesa dos Direitos Animais VEDDAS, explicando essa nomenclatura:

Por que estão usando o termo veganismo de forma “errada”?

As palavras expressam significados mas podem ser interpretadas de várias formas dependendo de quem recebe a informação, isto por conta da subjetividade e da bagagem cultural de cada pessoa. Apesar de muitas vezes as pessoas tentarem transmitir um sentido único e estrito de uma palavra, elas podem acabar sendo recebidas pelos receptores com outras conotações. Essas novas conotações podem se popularizar até mais do que a proposta original, o que acabou acontecendo com o termo vegetarianismo e que vem começado a acontecer com a palavra veganismo por conta da disseminação de diversas fonte de informação que tem grande influência, como é o caso de grandes sites e também de celebridades – que acabaram recebendo a informação “deturpada”.

  • vegetarianismo originalmente = dieta à base de vegetais
  • vegetarianismo hoje em dia = dieta à base de vegetais ou apenas sem carnes, segmentação por grupos (prefixos: estrito, ovo, lacto, ovo-lacto)
  • veganismo originalmente = filosofia de vida sem exploração de animais em todos os âmbitos
  • veganismo está se tornando = filosofia de vida sem exploração animal em todos ou âmbitos ou apenas na dieta, segmentação por grupos (a segmentação está ficando veganismo ético ou dieta vegana que é o equivalente ao vegetarianismo estrito ou plant based)

A linguagem é adaptativa e se modifica e com o passar do tempo muitos termos acabam ganhando novos significados e conotações, o termo vegano está sofrendo com isso porque acaba tendo um esvaziamento do seu sentido e tese política e social. Apesar disso tudo, é possível saber que vegetarianismo e veganismo não são sinônimos, pois enquanto um envolve toda uma luta política pelos animais o outro se refere à uma escolha alimentar por qualquer motivo, resta aos que sabem dessas diferenças conceituais alertarem sempre que virem uma informação ou notícia equivocada, para que não seja necessário inventar um novo termo caso a palavra veganismo venha a perder sua identidade.


(1) O site significados diz: “lato sensu e stricto sensu são expressões em latim que significam “sentido lato” e “sentido estrito”, respectivamente. Sentido lato ou sentido amplo de um determinado conceito indica uma vista mais geral desse conceito, enquanto o sentido estrito remete para uma definição mais particular desse mesmo conceito.”


Leia também: Os “veganos” que comem carne e os paradoxos da sociedade do espetáculo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s