Se todos fossem veganos 75% das terras devastadas pela agropecuária não precisariam mais ser exploradas


O sistema agropecuário atual, principalmente a pecuária, quando em frente à ciência, se mostra cada vez mais ineficiente quando o assunto é sustentabilidade. Um novo estudo feito por pesquisadores da Universidade de Oxford mostrou que, caso o mundo fosse vegano, precisaríamos apenas de 1/4 do total de terras utilizadas para produção do agronegócio seriam necessárias; um total equivalente aos Estados Unidos, China, União Europeia e Austrália combinados deixaria de ser utilizado, e ainda sobraria comida para alimentar a todos.

O estudo foi realizado com dados de cerca de 40.000 fazendas em 119 países, cobrindo cerca de 40 produtos, que juntos representam 90% das calorias consumidas mundialmente. As conclusões não foram apenas sobre a quantidade massiva de terras que não precisariam ser devastadas, mas é possível observar impactos em outros âmbitos, como a grande contribuição com as emissões de GEE (gases de efeito estufa), poluição e gastos de água.

Apesar de produzir apenas 18% das calorias ingeridas e 37% das proteínas, a pecuária utiliza 83% das terras ocupadas pela agropecuária atualmente. Mesmo quando se compara os danos dos produtos de origem animal com o vegetal menos sustentável de se cultivar, eles ainda são mais danosos para o meio ambiente e geram muito menos contribuição nutricional. Em uma comparação de produção do bife que menos causasse impactos com a de ervilhas, por exemplo, o bife gerou 6 vezes mais GEE e gastou 36 vezes mais terras. J. Poore, um dos autores do trabalho, diz ao The Guardian:

“Converter grama em [carne] é como converter carvão em energia. Vem com um imenso custo nas emissões.”

Como solução alternativa para a situação, os pesquisadores sugerem taxar carnes e laticínios, subsidiar produtos vegetais saudáveis como forma de incentivar um consumo mais sustentável e também comunicar aos consumidores os impactos ambientais do que consomem. J. Poore comenta:

“A razão pela qual comecei esse projeto foi entender se existiam produções de origem animal sustentáveis por aí. Mas eu já havia parado de consumir produtos de origem animal pelos últimos 4 anos deste projeto. Esses impactos não são necessários para sustentar nosso estilo de vida atual. A pergunta é o quanto conseguimos reduzi-los, e a resposta é muito.”

Caso fosse adotada uma dieta à base de plantas, até 3,3 bilhões de hectares não precisariam mais ser usados; haveria uma redução de 49% nas emissões de CO2, um dos gases do efeito estufa e 50% menos acidificação dos solos e dos mares.

Confira também:

Pecuária contribui com 83,5% das emissões dietéticas de gases de efeito estufa
Se EUA fosse vegano, poderia alimentar mais 350 milhões de pessoas
Relatório da WWF recomenda redução de produtos de origem animal na dieta
Desmatamento na Amazônia pode se tornar irreversível
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s